Blog Saudável

Entendendo um pouco mais sobre os azeites

Até algum tempo atrás, acreditava-se que, o uso de azeites para cozinhar alimentos era proibido, essa justificativa se dava por acreditar que havia uma formação de produtos tóxicos quando se aumentava a temperatura deste tipo de óleo, mas calma, isso não é verdade.

Até algum tempo atrás, acreditava-se que, o uso de azeites para cozinhar alimentos era proibido, essa justificativa se dava por acreditar que havia uma formação de produtos tóxicos quando se aumentava a temperatura deste tipo de óleo, mas calma, isso não é verdade. Os óleos vegetais sofrem reações químicas ao entrar em contato com o oxigênio e água, essa interação tem impacto forte com o sabor, qualidade e aroma. O azeite possui uma alta concentração de ácidos graxos monoinsaturados, poliinsaturados e antioxidantes benéficos à saúde da população. A Comissão do Codex Alimentarius definiu as categorias dos azeites:

Azeite de Oliva Extra Virgem: apresentam grau de acidez de 0,8%, não sofre nenhum refino químico. Dentre todos é o mais saudável;

Azeite de Oliva Virgem: sua acidez varia de 0,81% à 2%, em geral misturado com outros óleos, e de uma qualidade inferior ao azeite citado acima;

Azeite de Oliva Lampante: sua acidez é acima de 3,3%, impróprio para o consumo pois seu odor e paladar são inadequados, existe sua comercialização misturado com outros azeites e óleos;

Azeite Refinado: sua acidez varia de 0,5% à 1,5%, preferencialmente utilizada na indústria, e misturado com outros azeites (virgem ou extravirgem). Este azeite virgem lampante foi refinado resultando em perda de gosto, cor, aroma e grande parte das vitaminas;

Azeite composto: é a mistura de 15% de azeite de oliva lampante + 85% de óleo de soja, sendo o mais popular e mais vendido no mercado apesar da baixa qualidade nutricional.

Muito se foi estudado e provado que o azeite só sofrerá alterações negativas se for aquecido por horas e horas, então se deseja somente grelhar ou cozinhar, vá em frente.  Esse tipo de preparação não é capaz de mudar a estrutura do seu azeite.

Nota-se que, financeiramente,o viável é o uso dos óleos vegetais nas preparações onde também há outras opções como girassol, canola e soja, porém , nutricionalmente falando, o azeite de Oliva Extra Virgem continua no “pódio”pelas suas propriedades funcionais.

Voltar

Depoimentos de quem ama Saporito

Maravilhoso. Amo comida italiana! Quando descobri o Saporito me apaixonei com o sabor dos pratos, o tempero especial da casa (melhor de todos), o atendimento excepcional do chef e dos atendentes, o preparo sempre cuidadoso, a qualidade dos produtos... Se existisse delivery estaria feita na vida! ? ❤

Letícia Cordeiro

Adoro os pratos do Saporito são extremamente deliciosos e muito bem feitos e os ingredientes de ótima qualidade, muito bom mesmo!

Gisele Rodrigues Lima

Ótimo e excelente produto ofertado. Está tendo promoção, como faço minhas refeições bastante no Saporito, está sendo possível ir mais vezes devido ao custo. Atendimento nota 1.000! Parabéns a equipe!

Kayssara

O que eu mais gosto do Saporito é o molho de quatro queijos, é o melhor que já comi. A mistura dele com o penne é fantástica.

Maria Fernanda Fiedler Barbosa

As massas são incomparáveis, a educação e cordialidade dos cozinheiros e funcionários são encantadoras, tudo feito com profissionalismo, sem perder a qualidade. O cardápio sempre nós deixa indecisos de tantas boas opções, sem contar com o requinte da louça em que são servidos os pratos.

Rosemeire Fiuza

Eu e minha família adoramos o Saporito. Uma das melhores comidas!

Eduardo LOHMANN